Carromoto elétrico: Conhece?

03/09/2020 às 11:46 am

Versátil como uma moto e seguro como carro

A empresa alemã Canyon anunciou seu novo conceito de veículo híbrido elétrico, que funciona como motocicleta e como carro ao mesmo tempo. A ideia está longe de ser nova, mas, ao contrário de outras abordagens, a “podbike” teve foco no desenvolvimento, e pode, pela primeira vez, revolucionar o setor de veículos ao juntar o conforto e segurança de um carro e a versatilidade e agilidade de uma moto em um único produto.

Desde a década de 1980, empresas tentam criar veículos que possam driblar os problemas do trânsito em cidades grandes e superpopulosas, mas, até agora, nenhuma delas foi capaz de trazer uma solução definitiva. Bicicletas com assento reclinado continuam dependendo inteiramente do piloto para se movimentar. Scooters com espaço extra, mas abertas, não servem a usuários em dias tipicamente chuvosos, enquanto scooters fechadas com velocidade limitada, não permitem o tráfego em todo tipo de estrada.

A podbike da Canyon foi desenvolvida com o objetivo de atender às necessidades de motoristas que vivem em grandes cidades, mas com foco nos problemas de trânsito atuais e futuros, além de ter sido impulsionada pela mudança de rotina causada pela pandemia do novo coronavírus. O veículo é elétrico e, por isso, não emite dióxido de carbono. Concebido para ser uma “motocicleta”, o veículo é compacto e tem assento reclinado. Mesmo assim, ainda conta com um espaço extra, que pode acomodar uma criança ou certa quantidade de bagagem. O chassi é totalmente fechado, o que o torna útil mesmo em dias chuvosos. O teto retrátil ainda permite que o piloto tenha e mesma sensação de liberdade, como se estivesse em uma moto comum.

O ponto chave da podbike é seu motor elétrico, que tem dois limites de velocidade: 60 km/h (para rodovias) e 25 km/h (ideal para ciclovias). Totalmente carregada, a bateria tem autonomia para até 150 km, o que pode ser estendido caso o piloto use os pedais para recarregar o veículo. A empresa pretende começar a testar o veículo daqui a três anos, e lançá-lo no mercado em no máximo cinco anos, por um valor não superior a 7 mil euros.

Fonte: Portal TecMundo

últimas Postagens