Dirigir cansado: tão perigoso quanto bebidas e drogas

16/03/2018 às 4:31 pm
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

O dia 16 de março é comemorado em todo o planeta como o Dia Mundial do Sono. A data leva à reflexão sobre a importância do bom sono para uma vida saudável.  Dirigir cansado ou com sono é tão arriscado como conduzir veículos após ingerir bebida alcoólica ou usar substâncias psicoativas.

Para a segurança da circulação viária é indispensável o perfeito desempenho de três funções importantíssimas: a cognitiva (atenção, concentração, raciocínio e agilidade mental); a motora (aquela que permite ao condutor reações musculares imediatas) e sensório perceptiva (que abrange o tato, a visão e a audição). Por isso, paradas periódicas nos trajetos viários de longa duração são tão importantes e são decisivas para a tranquilidade da viagem.

Para Marco Tulio de Mello, diretor do Centro Multidisciplinar de Sonolências e Acidentes (CEMSA), o cansaço se manifesta com mais intensidade logo após às refeições e na madrugada. “Depois de algumas horas dirigindo sem interrupção – fato comum com motoristas profissionais – o risco de acidentes é muito grande. Os condutores ficam dispersos e pode ocorrer a perda de memória, da atenção, da concentração e dos reflexos. Com o passar do tempo o sistema imunológico se debilita fazendo com que o indivíduo fique mais suscetível a doenças como infecções, por exemplo, provocando também expressiva perda da massa muscular”, afirmou.

A orientação que o professor Marco Túlio de Mello dar para os motoristas que cumprem longas jornadas é que fiquem atentos aos sinais do corpo e que respeitem rigorosamente a necessidade do devido descanso reparador.

Recomendações de segurança

As recomendações de médicos e especialistas em segurança no trânsito são muito simples. Ao sentir sono, o motorista deve parar o veículo em local seguro mais próximo. Se não puder dormir, deve sair do veículo, movimentar-se e tomar líquidos como água ou café e só retomar a direção após 10 minutos. Essa parada de 10 minutos deve se repetir a cada 150 quilômetros rodados em média, mesmo que o motorista se sinta à vontade para continuar dirigindo.

Dirigir a noite o cuidado deve ser redobrado, já que o cansaço se manifesta com mais frequência nesse período. A fadiga se revela em pequenos detalhes como não lembrar dos últimos quilômetros rodados ou  sentir os olhos pesados.

últimas Postagens