Carros elétricos e híbridos vão pagar menos imposto

09/07/2018 às 4:35 pm
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Fonte: G1

Carros elétricos e híbridos vão pagar menos Imposto sobre Produtos Industrializados, o IPI. A medida foi publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (6), mas só começa a valer em 1º de novembro.

A redução do IPI para veículos deste tipo já havia sido prometida pelo governo em janeiro deste ano, e faz parte do novo regime automotivo, o Rota 2030 Mobilidade e Logística.

Hoje, veículos elétricos pagam 25% de IPI, enquanto híbridos pagam entre 7% e 25%, de acordo com a capacidade volumétrica do motor.

A partir de novembro, os critérios (e as alíquotas) também mudam. Serão consideradas a eficiência energética e o peso do veículo.

Veja abaixo as novas faixas de imposto:

Híbridos com eficiência energética menor ou igual a 1,10 MJ/km

  • Peso até 1.400 kg: 9%
  • Peso entre 1.401 kg e 1.700 kg: 10%
  • Peso maior que 1.701 kg: 11%

Híbridos com eficiência energética entre 1,11 MJ/km e 1,68 MJ/km

  • Peso até 1.400 kg: 12%
  • Peso entre 1.401 kg e 1.700 kg: 13%
  • Peso maior que 1.701 kg: 15%

Híbridos com eficiência energética maior que 1,68 MJ/km

  • Peso até 1.400 kg: 17%
  • Peso entre 1.401 kg e 1.700 kg: 19%
  • Peso maior que 1.701 kg: 20%

Elétricos com eficiência energética menor ou igual a 0,66 MJ/km

  • Peso até 1.400 kg: 7%
  • Peso entre 1.401 kg e 1.700 kg: 8%
  • Peso maior que 1.701 kg: 9%

Elétricos com eficiência energética entre 0,67 MJ/km e 1,35 MJ/km

  • Peso até 1.400 kg: 10%
  • Peso entre 1.401 kg e 1.700 kg: 12%
  • Peso maior que 1.701 kg: 14%

Elétricos com eficiência energética maior que 1,35 MJ/km

  • Peso até 1.400 kg: 14%
  • Peso entre 1.401 kg e 1.700 kg: 16%
  • Peso maior que 1.701 kg: 18%

Outra novidade é que híbridos que tenham o motor a combustão flex (que pode ser abastecido com gasolina ou etanol) terão 2 pontos percentuais de desconto no IPI.

Com isso, o imposto desses modelos será de 7% a 18%. No entanto, ainda não há veículos com esta tecnologia no Brasil. A Toyota já roda com um Prius flex em testes, mas ainda não anunciou se e quando vai lançar o carro no mercado.

De acordo com Antonio Megale, presidente da associação das fabricantes, a Anfavea, os carros híbridos e elétricos “deverão ficar mais baratos assim que a redução de imposto começar a valer.”

Apesar dos impostos mais “amigáveis”, Megale acredita que não haverá mais incentivos por parte do governo. “Nos países de primeiro mundo os governos estão dando subsídios para esses veículos e, naturalmente, isso não vai acontecer no Brasil.”

últimas Postagens